Outsourcing de TI versus desenvolvimento de software interno: como fica o ROI?

Outsourcing versus desenvolvimento interno: como fica o ROI?

Ao tomarem a decisão de implantar um ERP em sua organização, muitos gestores se veem fazendo a seguinte pergunta: é melhor internalizar ou terceirizar o projeto de desenvolvimento de software? Para que esta escolha possa ser feita de maneira sábia, eles devem calcular o ROI (Retorno sobre o Investimento), uma técnica que pode ajudá-los a compreender os benefícios que cada método de desenvolvimento proporcionará à sua empresa.

A realização deste cálculo também pode indicar o tipo de retorno que será obtido a partir de cada método, bem como o tempo que levará para eles gerarem resultados palpáveis para o negócio. Mas na hora de escolherem entre internalizar o desenvolvimento de software ou terceirizá-lo por meio de uma empresa de outsourcing de TI, os gestores devem analisar 4 fatores que podem impactar no ROI e ditar o sucesso de sua empreitada. Conheça-os:

4 fatores que causam impactos no ROI do projeto

1. Custos envolvidos no processo

Inúmeros custos estão envolvidos no desenvolvimento de um software, que podem influenciar diretamente no tempo em que a empresa levará para conseguir recursos financeiros suficientes para justificar a sua implantação. E como o processo de desenvolvimento utilizado por uma equipe interna é completamente diferente do adotado por um fornecedor de outsourcing de TI, os custos de cada um acabam sendo distintos.

Enquanto que ao contar com profissionais internos a empresa terá que se preocupar com remunerações e documentações trabalhistas, com a equipe terceirizada ela conseguirá eliminar os custos relacionados à mão de obra. Isto sem contar que seus gestores não precisarão promover treinamentos para capacitá-la e investir em infraestrutura física de TI para manter o software em pleno funcionamento enquanto o desenvolve.

2. Controle das atividades

Muitas empresas optam por contratar uma equipe interna por causa do maior controle que ela terá sobre as atividades de desenvolvimento do software e da facilidade de comunicação entre os envolvidos no projeto, tais como clientes, desenvolvedores e usuários. Este envolvimento pode ter grande influência no retorno sobre o investimento, já que, com uma comunicação e planejamento adequados, os gestores poderão guiar o projeto rumo ao sucesso.

Mas ao contrário do que muitos líderes pensam, uma organização terceirizada também podem colocá-los no centro das decisões do projeto. Por meio do framework Scrum, ela consegue ter ganhos de produtividade e diminuição de custos, que geralmente influenciam bastante no ROI de seus clientes. O resultado disso é um software entregue rapidamente, com qualidade garantida e custos reduzidos, que garantem um retorno mais rápido do investimento.

3. Ganho de vantagens competitivas

Ao optar por contratar profissionais internos, a empresa precisará garantir que eles estejam sempre atualizados acerca das novas tecnologias e tendências do mercado. Isto, sem dúvida, fará com que eles percam um valioso tempo, que certamente causa impactos negativos no ROI do método de desenvolvimento. Mas ao contratar o serviço de outsourcing que o fornecedor de TI, ela não precisará mais se preocupar com isso.

Isso porque seus gestores terão acesso a conhecimentos e habilidades da equipe do fornecedor, que têm acesso mais rápido ao que acontece no mercado e está sempre atenta às novas tecnologias que podem aperfeiçoar a estrutura do software. Todos estes recursos, considerados essenciais para o ganho de vantagens competitivas, não podem ser obtidos por uma equipe interna a custos tão baixos quanto os do fornecedor.

4. Flexibilidade frente às mudanças

Se a empresa começar a crescer, a equipe interna terá que ser adaptada à nova realidade, assim como toda sua a infraestrutura de TI. E isto certamente causará um grande impacto nas finanças da empresa, bem como no ROI do software. Mas com o outsourcing de TI, basta que a empresa peça ao provedor para que se adapte às novas mudanças, e ele dimensionará seus recursos e equipes sem que a contratante tenha que se preocupar com isso.   

Qual modelo de desenvolvimento escolher?

Para decidir entre terceirizar ou internalizar o projeto de desenvolvimento do software, o gestor precisa avaliar quais os objetivos que o seu negócio pretende alcançar com essa empreitada. Também é importante que ele veja se o software será crucial para a entrega dos produtos ou serviços ofertados pela empresa ou simplesmente para dar apoio aos seus colaboradores na hora de realizarem suas tarefas.

Depois disso, ele conseguirá entender melhor as necessidades da organização e comparar o ROI de cada modelo de desenvolvimento de software. Mas vale lembrar que, apesar do ROI ter metodologias diferentes de cálculo, a fórmula básica é esta: retorno obtido/total investido. Quanto ao retorno obtido, ele pode ser tanto na redução de custos como no aumento da lucratividade ou rentabilidade do negócio.

No caso do software, o gestor precisa analisar os custos que serão necessários para a sua implantação, manutenção e possível integração com outros sistemas levados e ver qual retorno a tecnologia irá trazer. Assim, ele conseguirá verificar o modelo que realmente irá trazer um retorno tangível para a organização e decidir entre terceirizar ou internalizar o projeto de desenvolvimento do software.

E você, já realizou o estudo do ROI para verificar qual modelo de desenvolvimento trará um retorno tangível para a sua empresa? Aproveite para conhecer nosso serviço de outsourcing de TI ou deixar suas dúvidas nos comentários!

e-Book Grátis CBDS: Scrum e métodos ágeis no desenvolvimento de software