Como realizar o gerenciamento Baseado em Containers com OpenShift?

A ferramenta de código aberto OpenShift, da Red Hat, atua no gerenciamento de Containers auxiliando a monitorar e automatizar uma série de funções junto com o Kubernetes, solução que permite executar os comandos de controle.

Conforme a tecnologia avança, novas possibilidades vão surgindo em termos de TI — rodar processos isolados dentro de um mesmo sistema operacional, aliado à utilização de virtualização de servidores e máquinas, facilita e agiliza o trabalho do setor.

Ao longo deste pequeno post, vamos falar um pouco mais sobre o OpenShift, os Containers e como funciona todo esse ambiente. Boa leitura!

O que é a ferramenta OpenShift

O OpenShift é uma ferramenta livre de orquestração de Containers em sistemas operacionais Linux desenvolvida pela Red Hat e que permite o controle de todo o ciclo de vida de uma aplicação, desde o deploy até a produção.

A demanda por ferramentas como essas surgiu do novo paradigma de criação de aplicações divididas em microservices, o que aumenta consideravelmente a complexidade dos ambientes de desenvolvimento.

Por meio do OpenShift, utilizando-se do Kubernetes, é possível monitorar ações, automatizar tarefas, gerar relatórios completos e integrar com outras ferramentas conforme seja necessário.

O que são Conteiners

Os Containers, assim como as máquinas virtuais, são formas de compartilhamento de um mesmo recurso físico entre diferentes instâncias, sem que o funcionamento de uma acabe interferindo nas outras.

Powered by Rock Convert

Diferentemente da virtualização, na qual os recursos físicos são compartilhados, os Containers são processos de rodam de forma isolada dentro do mesmo sistema operacional — ou seja, consumindo muito menos processamento e permitindo o uso do paradigma de microserviços com pouco investimento.

Dessa forma, pode manter vários Containers trabalhando em um mesmo sistema operacional, realizando diversos serviços diferentes e tornando o ambiente mais estável, rápido e facilmente escalável.

Como a plataforma OpenShift auxilia na gestão

A plataforma OpenShift trabalha baseada em um sistema de camadas, no qual cada uma delas é responsável diretamente por apenas uma funcionalidade. A sobreposição delas faz com que a ferramenta consiga oferecer todas as suas funcionalidades de uma forma simples.

Ela atua sobre um cluster baseado em Kubernetes, sendo que os componentes são organizados em forma de microserviços. Todos esses componentes ficam localizados dentro de um nó master dentro da infraestrutura do OpenShift.

Dessa forma, o gestor do sistema tem uma visão ampla de todo o ambiente, suas variáveis de estado, comportamento e qualquer situação que demande de sua atenção.

Principais vantagens do OpenShift

A utilização do OpenShift como ferramenta de gestão de microserviços em um servidor traz uma série de vantagens. Vamos listar alguns dos principais benefícios:

  • ciclo de atualização ─ permite a automação de boa parte das tarefas de atualização, tornando a atividade muito mais ágil e simples;
  • flexibilidade ─ garante a realização do balanceamento de carga conforme necessário e facilidade na implementação de novos Containers e serviços;
  • melhoria na disponibilidade ─ fornece microserviços mais seguros que não interferem no funcionamento uns dos outros e se balanceiam conforme a demanda de cada um.

O OpenShift é uma tecnologia nova que surgiu para facilitar a vida de quem está buscando migrar para um paradigma de microserviços. Ela torna toda a gestão de um ambiente como esse mais simples e com uma curva de aprendizado menor.

Quer saber mais sobre o assunto? Entre em contato conosco agora mesmo!